Arquivo

Archive for julho \29\UTC 2018

Planilha com indicador FR (Força Relativa) das ações BOVESPA – 29/07/2018

Segue a planilha mensal com as ações da BOVESPA e o valor dos FR:

FR_Acoes_2018-07-29.xlsx

Obs: pode haver distorções (cálculos errados) em algumas ações devido ao atraso no ajuste de preços de proventos ou eventos corporativos pelo meu provedor atual de dados do Metatrader (QuoteBR).

Abraços a todos e bons trades!

Rodrigo Sibin Lichti

Obs: As informações colocadas aqui são simplesmente meus registros pessoais, não são recomendações de investimentos para outras pessoas. Não sou profissional certificado de investimentos e não posso orientar nenhuma pessoa a comprar ou vender determinado ativo. Os comentários e respostas para os leitores são simplesmente trocas de idéias entre investidores.

Anúncios
Categorias:Materiais

Atualização semanal – 29/07/2018

29 de julho de 2018 6 comentários

Nenhuma compra feita essa semana.

Nenhum ajuste de stop e nenhum stop foi atingido.

Possíveis entradas para essa semana:

Ação FR Setup Preço entrada Stop inicial Risco
FHER3 99 Correção Diário 7,32 5,44 -25,68%
FIBR3 94 Rompimento Tendência 77,01 69,95 -9,17%
INEP4 99 Rompimento Tendência 8,2 6,18 -24,63%
QGEP3 97 Rompimento Tendência 17,81 14,85 -16,62%

Obs 1: FHER3 fez uma mega subida e uma mega correção, a volatilidade aumentou absurdamente, vou fazer uma operação meio diferente comprando no rompimento da congestão da correção olhando no gráfico diário, com stop abaixo da mínima da correção. Mesmo no gráfico diário o risco está muito alto (25%) devido ao aumento da volatilidade, então o position sizing me faz operar com praticamente 3 vezes menos capital que FIBR3 por exemplo.

Obs 2: INEP4 tem uma liquidez bem baixa mas no limite do meu aceitável, média semanal de R$ 100 mil. Sendo assim vou operar com metade do meu risco por operação (0,5%), que somado com o alto risco (24%) me dá um volume financeiro baixo para essa operação.

Obs 3: baixei o stop inicial da QGEP3, portanto o position sizing foi alterado também.

No radar do mês: FHER3, FIBR3, INEP4, QGEP3

Minha carteira atual de Trend Following:

Data Entrada Ação Period. Estratégia Variação
14/08/2017 UNIP6 Position Rompimento Tendência 362,21%
09/11/2017 UNIP6 Position Rompimento Tendência 215,16%
16/11/2017 MAGG3 Position Rompimento Tendência 41,95%
14/02/2018 UNIP6 Position Rompimento Tendência 90,09%
05/03/2018 SLCE3 Position Rompimento Tendência 55,62%
03/05/2018 SUZB3 Position Rompimento Tendência 8,01%
15/05/2018 IRBR3 Position Rompimento Tendência 7,14%
26/06/2018 SLCE3 Position Rompimento Tendência 8,28%
17/07/2018 MGLU3 Position Rompimento Tendência -0,31%

Bons trades!

Rodrigo Sibin Lichti

Obs: As informações colocadas aqui são simplesmente meus registros pessoais, não são recomendações de investimentos para outras pessoas. Não sou profissional certificado de investimentos e não posso orientar nenhuma pessoa a comprar ou vender determinado ativo. Os comentários e respostas para os leitores são simplesmente trocas de idéias entre investidores.

Atualização semanal – 21/07/2018

Novas entradas (compras) ocorridas essa semana: MGLU3 a R$130,20.

Nenhum ajuste de stop e nenhum stop foi atingido.

Possíveis entradas para essa semana:

Ação FR Setup Preço entrada Stop inicial Risco
FIBR3 96 Rompimento Tendência 77,01 69,95 -9,17%
QGEP3 96 Rompimento Tendência 17,81 15,87 -10,89%

No radar do mês: FHER3, FIBR3, MGLU3, QGEP3

Minha carteira atual de Trend Following:

Data Entrada Ação Period. Estratégia Variação
14/08/2017 UNIP6 Position Rompimento Tendência 361,56%
09/11/2017 UNIP6 Position Rompimento Tendência 214,71%
16/11/2017 MAGG3 Position Rompimento Tendência 36,96%
14/02/2018 UNIP6 Position Rompimento Tendência 89,82%
05/03/2018 SLCE3 Position Rompimento Tendência 70,48%
03/05/2018 SUZB3 Position Rompimento Tendência -0,92%
15/05/2018 IRBR3 Position Rompimento Tendência 7,14%
26/06/2018 SLCE3 Position Rompimento Tendência 18,62%
17/07/2018 MGLU3 Position Rompimento Tendência 0,59%

Bons trades!

Rodrigo Sibin Lichti

Obs: As informações colocadas aqui são simplesmente meus registros pessoais, não são recomendações de investimentos para outras pessoas. Não sou profissional certificado de investimentos e não posso orientar nenhuma pessoa a comprar ou vender determinado ativo. Os comentários e respostas para os leitores são simplesmente trocas de idéias entre investidores.

Atualização semanal – 15/07/2018

Nenhuma compra feita essa semana.

Ajustes de stop: SLCE3: de 41,27 para 46,78

Nenhum stop foi atingido.

Possíveis entradas para essa semana:

Ação FR Setup Preço entrada Stop inicial Risco
FIBR3 96 Rompimento Tendência 77,01 69,95 -9,17%
MGLU3 97 Rompimento Tendência 130,01 113,44 -12,75%

No radar do mês: FHER3, FIBR3, MGLU3, QGEP3

Minha carteira atual de Trend Following:

Data Entrada Ação Period. Estratégia Variação
14/08/2017 UNIP6 Position Rompimento Tendência 376,23%
09/11/2017 UNIP6 Position Rompimento Tendência 224,72%
16/11/2017 MAGG3 Position Rompimento Tendência 33,78%
14/02/2018 UNIP6 Position Rompimento Tendência 95,86%
05/03/2018 SLCE3 Position Rompimento Tendência 83,99%
03/05/2018 SUZB3 Position Rompimento Tendência 10,10%
15/05/2018 IRBR3 Position Rompimento Tendência 3,84%
26/06/2018 SLCE3 Position Rompimento Tendência 28,02%

Bons trades!

Rodrigo Sibin Lichti

Obs: As informações colocadas aqui são simplesmente meus registros pessoais, não são recomendações de investimentos para outras pessoas. Não sou profissional certificado de investimentos e não posso orientar nenhuma pessoa a comprar ou vender determinado ativo. Os comentários e respostas para os leitores são simplesmente trocas de idéias entre investidores.

Atualização semanal – 09/07/2018

FHER3 e QGEP3 estavam no meu radar mas optei por não entrar nesse momento acabaram disparando em forte alta essa semana. Agora vou aguardar uma correção para tentar uma compra.

Nenhuma compra feita essa semana.

Ajustes de stop:

SLCE3: de 37,98 para 41,27 (primeira posição)
SLCE3: de 41,12 para 41,27 (segunda posição) – agora juntando tudo e mantendo um stop único

Nenhum stop foi atingido.

Possíveis entradas para essa semana:

Ação FR Setup Preço entrada Stop inicial Risco
FIBR3 96 Rompimento Tendência 77,01 69,95 -9,17%

No radar do mês: FHER3, FIBR3, MGLU3, QGEP3

Minha carteira atual de Trend Following:

Data Entrada Ação Period. Estratégia Variação
14/08/2017 UNIP6 Position Rompimento Tendência 390,14%
09/11/2017 UNIP6 Position Rompimento Tendência 234,20%
16/11/2017 MAGG3 Position Rompimento Tendência 35,32%
14/02/2018 UNIP6 Position Rompimento Tendência 101,58%
05/03/2018 SLCE3 Position Rompimento Tendência 63,10%
03/05/2018 SUZB3 Position Rompimento Tendência 13,59%
15/05/2018 IRBR3 Position Rompimento Tendência -4,96%
26/06/2018 SLCE3 Position Rompimento Tendência 13,48%

Bons trades!

Rodrigo Sibin Lichti

Obs: As informações colocadas aqui são simplesmente meus registros pessoais, não são recomendações de investimentos para outras pessoas. Não sou profissional certificado de investimentos e não posso orientar nenhuma pessoa a comprar ou vender determinado ativo. Os comentários e respostas para os leitores são simplesmente trocas de idéias entre investidores.

A besteira popular do “Já subiu muito, não é hora de comprar”

Dentre os comentários que ouço quando o assunto é bolsa de valores ou ações, os mais comuns são:

“A ação já subiu muito, não é hora de comprar” ou “Já passou da hora de comprar” ou “A ação está cara”.

E se é uma ação que eu tenho que se encontra nesse cenários, o comentário de sempre é: “Você não vai vender?”

Já me considero um quase vidente! Quando é uma pessoa nova que estou falando desse assunto, eu praticamente já sei as frases que ela vai falar, e eu acerto em 90% das vezes!

São aquelas frases clichês do mercado financeiro. Algumas pessoas experientes falam, OK, elas tem as estratégias pessoais que talvez não considerem uma entrada com uma ação em alta, tudo bem, cada um tem sua estratégia. Mas a maioria das pessoas que ainda não investem na bolsa e vários iniciantes falam isso também, nesse caso já provavelmente por falta de conhecimento de mercado.

Outro motivo que possa motivar esse pensamento, apesar de não totalmente correto, é que a grande maioria das pessoas só vê as blue chips, e essas realmente dificilmente sobem por muitos meses e anos seguidos, depois que o mercado brasileiro ficou mais difícil, pós crise 2008.

Agora se ampliamos as ações analisadas para mid caps e small caps, a gama de opções é muito maior. Muitas ações sobem por meses e anos a fio, sem dar trégua. Muitas delas inclusive se movimentam totalmente independente do índice Bovespa. Quando alguém vem me falar que a ação X já subiu muito e que está na hora de vender ou não está na hora de comprar já me dá nervoso! Aí preciso respirar fundo e começar minha resposta padrão! Sempre tentando ser educado, mas nem sempre rsss Afinal ouvindo a vida inteira a mesma coisa tem hora que escapa!

Antes de continuar, melhor explicar dois pontos para também não ser hostilizado e mal interpretado:

1) Comprar mais barato é mais lucrativo. Isso é óbvio, não há argumento contra isso. É uma conta matemática. Se ação está caindo forte, você compra a R$10. A ação em determinado momento começa a subir, eu compro a R$15. Usamos o mesmo stop ou alvo e ambos vendemos a R$30. É claro que você que comprou mais barato vai ter lucrado mais. Quanto mais barato você comprar, melhor, SEEE e somente SE a ação subir depois que você comprar! A maioria das pessoas que conheço gostam de comprar ações mais baratas, esperar uma forte queda, de preferência uma mega tendência de baixa para então comprar. Praticamente todas essas também não usam stop inicial, ou seja, o risco da operação é 100%! Por mais sólida que seja a empresa, ela sempre pode ficar ruim e eventualmente até quebrar. Nos EUA já teve vários casos desse tipo, o mais famoso é da gigante Enron, que quebrou totalmente. A Sadia aqui no Brasil ia muito bem mas quando fez uma operação financeira errada foi pro brejo. Nos anos 2000 a NET chegou a valer R$440 para anos depois valer centavos. Então a questão não é qual é o método certo, comprar quando a ação subindo ou caindo, mas sim qual a estratégia faz mais sentido para cada um. As duas dão dinheiro, mas exigem níveis emocionais bem diferentes. A idéia de comprar uma ação em tendência de alta não é ser mais lucrativo necessariamente de uma ação que está em tendência de baixa. Uma ação em tendência de baixa tende a continuar caindo, se ela está caindo há vários motivos da empresa, mercado, etc que estão fazendo ela cair. Se ela estivesse boa as ações estariam subindo! Então a taxa de acerto dessas operações são muito baixas e o risco muito alto. O objetivo principal de comprar ações em tendência de alta é aumentar a probabilidade de acertar e lucrar, bem como diminuir absurdamente o risco da operação ao utilizar stop inicial.

2) Numa tendência de alta, com os preços subindo fazendo zigue zague, é melhor comprar mais perto do início da tendência do que após vários meses ou anos. De novo, é óbvio que é mais lucrativo, mais perto do início da tendência, mais barato será e mais lucro dará no final. A consideração aqui é quão perto do início da tendência é mais seguro ou com maior probabilidade de acerto. Comprar após um pivot (rompimento do primeiro zique zague de alta) no gráfico diário é um bom ponto, porém a probabilidade de uma reversão para tendência primária é baixa. Comprar após um pivot no gráfico semanal já melhora as probabilidades, porém ainda considero muito cedo, ainda não terá um padrão na movimentação dos preços e da força da ação. E para mim o maior problema é que em qualquer uma dessas entradas o FR ainda não estará alto, sendo um tiro quase no escuro, pois em 400 ações na Bovespa sempre haverá pivots sendo formados, mas a maioria deles resultará em subida fraca da ação, congestão ou continuação da tendência de baixa em pouco tempo. Serão algumas poucas que resultarão em tendência forte e consistente que durará meses ou anos e se sobressairá das demais. Portanto na minha visão, pela minha estratégia pessoal e meu perfil de investimento, acho mais interessante não arriscar comprar qualquer pivot de qualquer ação e esperar a movimentação de algumas semanas ou meses de modo a permitir escolher ações que está se desenhando com padrão de alta força no movimento. Algumas me enganarão, começará um movimento forte somente para parar em seguida, mas faz parte do mercado, acertamos umas e erramos outras, o que vale é a somatória das operações, perder pouco nas que erramos e ganhar muito nas que acertamos, buscando pegar tendências longas em ações que assim fizerem. Quando o FR ficar acima dos 90 e der entrada, o bom é que seja algumas semanas ou poucos meses após o início da tendência primária. Sempre será melhor comprar o mais barato possível, dentro das regras que aumentem a probabilidade do acerto. Mas mesmo não sendo tão lucrativo quanto, não significa que comprar uma ação após estar subindo por 6 meses ou 1 ano seja mau negócio. Diante as oportunidades disponíveis no mercado naquele momento, essa suposta ação pode ser mais interessante. Algumas ações podem continuar subindo por muito mais tempo. Mas confesso que prefiro comprar ações que não estejam subindo por mais de 1 ano aproximadamente. Prefiro entrar mais cedo na tendência, mas eventualmente posso optar por comprar alguma que já esteja subindo há mais tempo. Outro cenário é quando a ação está subindo há muitos meses, mas em ritmo bem lento, e de repente a situação muda na empresa e as ações começam a subir mais forte, entrando no radar do FR. Isso é como desse vida a empresa e as projeções mudam totalmente, portanto extremamente válido a entrada.

Então voltando às argumentações iniciais, dizer que é hora de vender ou não é hora de comprar uma ação porque ela já subiu 50%, 100% ou 200% é pura besteira! Quem acreditar nisso pode ficar de fora de um belo movimento que pode vir na sequência! E a dor de deixer de ganhar e deixar a oportunidade passar é maior do que a de perder! O mesmo para quem vender as ações somente porque subiu 50% ou 100%.

Empresas em forte crescimento ou restruturação, possivelmente recebendo muitos investimentos, tendem ter suas ações subindo por muitos meses ou anos. Quando a empresa entra no radar de mega investidores e esses resolver comprar milhões de ações, eles tem que ir comprando aos poucos devido a liquidez do ativo. Essa compra normalmente dura meses e normalmente isso é só o começo da subida, pois do contrário esses investidores não se interessariam pela empresa.

Eu acho que a maioria das pessoas não gosta de comprar ações depois dela ter subido 100% digamos, por 2 motivos principais:

1) Medo de já ter subido o suficiente e o movimento de alta já estar no fim. É pertinente e válido, todo movimento de alta chega ao fim em algum momento, pelo menos para uma tendência secundária de baixa. Mas por outro lado comprar na baixa gera o mesmo medo, porém pior, que é não saber se a tendência de baixa está perto do fim. Afinal, inércia da tendência de alta é que os preços continuem subindo, inércia da tendência de baixa é que os preços continuem caindo.

2) Ego. Ego grande. A ação X caiu durante anos até chegar a R$10. Uma hora iniciou uma tendência de alta e agora já está R$25. A pessoa não aceita comprar alguma coisa que estava valendo R$10 e agora está R$25, ela se sente como se estivesse sendo passada para trás, alguém vendendo para ela algo que valia bem menos. É como se tivesse vergonha em falar pra alguém que comprou a R$25 e a pessoa iria falar “Nossa meu, como você é burro! A ação X valia R$10 e você pagou R$25?”. Ela acha que está fazendo um mau negócio, como se fosse um produto, uma TV que estava custando R$1000 e agora está R$2500, muitas pessoas associam o conceito de produtos e comércio com ações e isso não tem nada a ver! Um produto nós compramos para uso próprio e não para lucrar, pelo contrário, sempre vai desvalorizar com o tempo. Ações nós compramos esperando valorização da empresa para obter lucro. Ações praticamente não tem limite de valor enquanto a empresa estiver crescendo ou falindo (limite teórico zero), já um produto tem uma certa limitação, uma TV não vai custar R$100 ou R$100 mil. Portanto ninguém precisa ter vergonha, se sentir pior ou inferior, ou que está fazendo mau negócio se comprar uma ação depois de já ter subido e estar mais cara que antes. A pessoa deve se sentir mal se está perdendo dinheiro constantemente no mercado, mês após mês, isso sim não é legal. Se você está ganhando dinheiro e está psicologicamente confortável com o método de trade, então continue assim! Deixe o ego de lado e use o lado racional para definir um plano de trading, não o lado emocional.

Minha opinião é que não importa o preço que pagamos e sim a rentabilidade em percentual que obtemos. Melhor  comprar uma açãodepois de já ter subido e ganhar 200% do que comprar uma ação na queda e ganhar 50%. A meta principal é o lucro, não importando o valor da compra e da venda. Eu comprei MGLU3 a R$100 e vendi a quase R$200. E quem comprou a R$200 poderia ter vendido a R$600!!! (preços sem split) Mas a R$100 a ação não estava cara? E a R$200 ela não estava mega cara??? O preço não quer dizer nada! O que manda é o potencial de crescimento da empresa e consequentemente das ações.

Se as ações estão subindo, por que não aproveitar? É muito mais fácil acertar na continuação da subida do que na reversão da queda. Para isso servem os stops, você compra e coloca stop, se a ação parar de subir, você toma um pequeno prejuízo, digamos 10% e analisa outras oportunidades. Se você acerta e o movimento continua por um longo tempo mais, você ganha um ótimo lucro, 100%, 200%, às vezes bem mais!

Bem, isso tudo é minha opinião e visão do mercado. Respeito todas as formas de operar e investir no mercado, até porque não existe somente uma forma certa. O que importa é ter lucro, se está ganhando dinheiro está ótimo, cada um operando da sua forma.

Por fim vou exibir abaixo alguns exemplos de compras em tendência de alta que teriam dado muito lucro e também de compras durantes quedas que teriam levado a uma mega perda jamais recuperada ou que demoraram uma década para somente voltar perto do zero a zero, perdendo muito tempo de oportunidades. Para as compras estou colocando valores em pontos de rompimentos de resistências/topos anteriores recentes. Nos gráficos eu destaco nas linhas horizontais somente alguns desses pontos.

MGLU3

A primeira possibilidade de compra seria no pivot semanal de reversão de tendência em 2,31 no começo de 2016. Uma compra nessa época e mantido até hoje estaria rendendo incríveis 5440%!
Alguns meses depois uma nova compra poderia ter sido feita a 4,80. “Nossa, mas já subiu mais de 100%, está caro!” (Lembrando que o valor naquela época antes de ter ocorrido o split era de 38,40). Essa compra mantido até hoje estaria rendendo outros incríveis 2566%!

Mais alguns meses depois uma nova compra poderia ter sido feita a 8,27. “Ihh é ruim hein, já subiu 250% do primeiro ponto de entrada, mega caro! Já são 9-10 meses subindo direto! É hora de sair com certeza!” Essa compra mantido até hoje estaria rendendo 1447%!

Aí chegou um camarada meio desavisado, nem conhecia MGLU e viu ela no começo de 2017, já tinha subido aproximadamente 1500% desde o fundo principal antes do início da tendência no fim de 2015. “Você é louco cara?” – diziam seus amigos – “É nabo na certa se você comprar agora!”. O rapaz resolveu comprar mesmo assim, pagou 16,31. Essa compra mantido até hoje estaria rendendo 684%. Acho que o camarada deve ter ficado contente em ter comprado caro!

Um outro camarada resolveu entrar na bolsa no meio de 2017 e começou analisar as ações para escolher o que comprar e compor sua carteira. Ele viu o gráfico da MGLU3 e pensou “Essa ação está com uma tendência fortíssima! Se eu estivesse na bolsa 1 ano atrás eu já teria comprado naquela época e estaria ganhando muito dinheiro, mas como só estou entrando agora vou comprar agora”. E ele comprou a 35,35. Essa compra mantido até hoje estaria rendendo 262%.

E mesmo depois de uma compra absurda depois de 2 anos de subida da ação no início de 2018 a 86,31 estaria rendendo 48% em 4 meses.

ABEV3

Primeira compra já esticada a 0,59, que é 78% acima do início do gráfico disponível. Essa compra mantido até hoje estaria rendendo 2967%.

2 anos depois em 2003, após uma queda e consolidação uma compra a 1,18, que é 100% acima da primeira compra e 257% acima do início do gráfico disponível. Essa compra mantido até hoje estaria rendendo 1433%.

Alguns anos depois em 2009, uma compra a 3,55, que é 501% acima da primeira compra e 975% acima do início do gráfico disponível. Essa compra mantido até hoje estaria rendendo 410%.

2 anos depois em 2011, após uma alta revigorante uma compra a 7,53. Essa compra mantido até hoje estaria rendendo 140%.

GGBR4

Vou estabelecer um possível ponto de venda das ações em 2008 no meio da crise conforme final do gráfico, após as ações terem caído 32%.

Após uma tendência de alta iniciada em 2001, uma compra seria feito no fim de 2002 a 0,01 (gráfico ajustado). Essa compra teria rendido 228800%.

Poucos meses depois após uma mega alta de 200%, uma compra a 0,03. Essa compra teria rendido 76200%.

Final de 2003, ações subindo sem parar, uma compra a 0,13, que é 1200% acima da primeira compra. Essa compra teria rendido 17507%.

Após uma outra mega alta de 300% em apenas 6 meses, no meio de 2004 uma compra a 0,52, que é 5100% acima da primeira compra. Essa compra teria rendido 4301%.

A tendência continuou forte e no fim de 2005 uma compra a 2,20. Essa compra teria rendido 940%.

Mesmo uma compra no início de 2008, depois de 7 anos de tendência de alta, uma compra a 11,53 teria rendido 98%!!

Claramente vemos que qualquer venda com “apenas” 100% de lucro ou evitar compras após a tendência ter iniciado faria o trader deixar de ganhar muito dinheiro!

HGTX3

Vou estabelecer um possível ponto de venda das ações em 2012 após o fim da tendência primária e sua reversão conforme final do gráfico, após as ações terem caído 23%.

Resumindo somente com os valores, seguindo a lógica acima:
Compra a 2,53, rentabilidade 1093%.
Compra a 4,51, rentabilidade 569%.
Compra a 5,69, rentabilidade 430%.
Compra a 8,54, rentabilidade 253%.
Compra a 10,29, rentabilidade 193%.
Compra a 15,48, rentabilidade 95%.

ITSA4

Resumindo somente com os valores, seguindo a lógica acima:
Compra a 0,11, rentabilidade 8754%.
Compra a 0,31, rentabilidade 3041%.
Compra a 0,53, rentabilidade 1737%.
Compra a 0,99, rentabilidade 883%.
Compra a 2,06, rentabilidade 372%.
Compra a 4,03, rentabilidade 141%.

UNIP6

Resumindo somente com os valores, seguindo a lógica acima:
Compra a 2,59, rentabilidade 1409%.
Compra a 4,89, rentabilidade 699%.
Compra a 6,66, rentabilidade 487%.
Compra a 9,12, rentabilidade 328%.
Compra a 16,91, rentabilidade 131%.

Agora alguns exemplos de ações em queda que se o investidor ou trader fosse comprando a medida que caiam tentando comprar mais barato teriam problemas com o capital. Para efeito teórico, vou determinar pontos de compra a 25% de queda do topo, a 50% e a 75%.

OGXP3

O topo da OGXP3 foi em 10/2010 a R$2339,00. O valor atual é de R$3,00.
Uma compra após 25% de queda seria a R$1754,25. O resultado hoje seria -99,82%.
Uma compra após 50% de queda seria a R$1169,50. O resultado hoje seria -99,74%.
Uma compra após 75% de queda seria a R$584,75. O resultado hoje seria -99,48%.
Ou seja, essa foi uma típica ação que comprando na queda teria resultado em desastre total. Conheço algumas pessoas que fizeram isso, compraram sem stop, hoje praticamente perderam tudo o investido.

PDGR3

O topo da PDGR3 foi em 11/2010 a R$494,98. O valor atual é de R$0,91.
Uma compra após 25% de queda seria a R$371,23. O resultado hoje seria -99,75%.
Uma compra após 50% de queda seria a R$247,49. O resultado hoje seria -99,63%.
Uma compra após 75% de queda seria a R$123,74. O resultado hoje seria -99,26%.

RSID3

O topo da RSID3 foi em 10/2010 a R$426,46. O valor atual é de R$4,48.
Uma compra após 25% de queda seria a R$319,84. O resultado hoje seria -98,60%.
Uma compra após 50% de queda seria a R$213,23. O resultado hoje seria -97,89%.
Uma compra após 75% de queda seria a R$106,61. O resultado hoje seria -95,79%.

RAIL3

O topo da RAIL3 foi em 07/2007 a R$97,50. O valor atual é de R$13,69.
Uma compra após 25% de queda seria a R$73,12. O resultado hoje seria -81,27%.
Uma compra após 50% de queda seria a R$48,75. O resultado hoje seria -71,91%.
Uma compra após 75% de queda seria a R$24,37. O resultado hoje seria -43,82%.

OIBR4

O topo da OIBR4 foi em 12/2009 a R$114,56 (não disponível nesse gráfico do TradingView. O valor atual é de R$2,90.
Uma compra após 25% de queda seria a R$85,92. O resultado hoje seria -96,62%.
Uma compra após 50% de queda seria a R$57,28. O resultado hoje seria -94,93%.
Uma compra após 75% de queda seria a R$28,64. O resultado hoje seria -89,87%.

GOLL4

O topo da GOLL4 foi em 05/2006 a R$71,25. O valor atual é de R$11,12.
Uma compra após 25% de queda seria a R$53,43. O resultado hoje seria -79,18%.
Uma compra após 50% de queda seria a R$35,62. O resultado hoje seria -68,78%.
Uma compra após 75% de queda seria a R$17,81. O resultado hoje seria -37,56%.

São dezenas de casos iguais a esses que não convém ficar repetindo muito. Acho que deu pra expor meus pontos referente a esse tema. Meu objetivo não é dizer que o meu método é melhor que os outros, com certeza não é e nem tenho essa pretensão. Trading é um jogo de probabilidades, meu principal objetivo é mostrar os dois lados da moeda, mercado em alta que pode continuar em alta, e de baixa que pode continuar em baixa. Mostrado isso, cada um deve montar sua própria estratégia de trading baseado em suas crenças, gostos, expectativas e visão do mercado e depois de ler esse artigo levar em conta essas informações extremamente importantes que podem fazer a diferença em uma operação.

Bons aprendizados, reflexões e trades a todos!

Rodrigo Sibin Lichti

Obs: As informações colocadas aqui são simplesmente meus registros pessoais, não são recomendações de investimentos para outras pessoas. Não sou profissional certificado de investimentos e não posso orientar nenhuma pessoa a comprar ou vender determinado ativo. Os comentários e respostas para os leitores são simplesmente trocas de idéias entre investidores.

Categorias:Aprendizado, Artigos

Planilha com indicador FR (Força Relativa) das ações BOVESPA – 01/07/2018

Segue a planilha mensal com as ações da BOVESPA e o valor dos FR:

FR_Acoes_2018-07-01.xlsx

Obs: pode haver distorções (cálculos errados) em algumas ações devido ao atraso no ajuste de preços de proventos ou eventos corporativos pelo meu provedor atual de dados do Metatrader (QuoteBR).

Abraços a todos e bons trades!

Rodrigo Sibin Lichti

Obs: As informações colocadas aqui são simplesmente meus registros pessoais, não são recomendações de investimentos para outras pessoas. Não sou profissional certificado de investimentos e não posso orientar nenhuma pessoa a comprar ou vender determinado ativo. Os comentários e respostas para os leitores são simplesmente trocas de idéias entre investidores.

Categorias:Materiais