Arquivo

Archive for the ‘Resultados’ Category

Resultado 2018

1 de janeiro de 2019 15 comentários

2018 encerrando e um excelente resultado obtido. Minha carteira superou o IBOV de lavada. Ela teve uma rentabilidade bruta de 71,59% enquanto o IBOV teve uma alta de 15,03%.

Com a taxa da SELIC baixando para 6,5% esse ano, a carteira rendeu mais do que deixar 8 anos na renda fixa, o que ajuda muito no objetivo de multiplicação do capital.

Conclusão: o setup 2.0 está aprovado no seu segundo ano de operação. O objetivo de caçar ações com altas variações no preço mesmo num ano com alta bem modesta do mercado como um todo foi cumprido.

Segue a tabela de rentabilidade da minha carteira desde o início (maio/2009), juntamente com o IBOV no mesmo período:

Ano Estratégia Minha Carteira Acumulado IBOV Acumulado
2009 v1 71,86% 71,86% 45,01% 45,01%
2010 v1 121,56% 280,77% 1,05% 46,53%
2011 v1 -10,47% 240,91% -18,13% 19,97%
2012 v1 7,02% 264,84% 7,38% 28,82%
2013 v1 -1,50% 259,37% -15,49% 8,87%
2014 v1 6,16% 281,50% -3,02% 5,58%
2015 v1 5,29% 301,68% -13,30% -8,46%
2016 v1 -1,33% 296,34% 40,49% 28,60%
2017 v2 44,32% 472,01% 26,86% 63,14%
2018 v2 71,59% 881,50% 15,03% 87,66%

Um excelente ano de 2019 de ótimos trades e com muita saúde, felicidade, paz e harmonia para todos nós!

Abraços,

Rodrigo Sibin Lichti

Anúncios
Categorias:Carteira, Resultados

Resultado 2017

30 de dezembro de 2017 8 comentários

2017 encerrando e um bom resultado obtido. Não considero um resultado excelente, mas está muito bom. Considerando ainda a taxa da SELIC baixando para 7%, ou seja, o dinheiro fácil está rendendo quase metade do que rendia no ano passado, e minha carteira rendendo mais de 6 vezes esse valor pode-se considerar uma rendimento muito bom.

Ainda considerando meu position sizing mais conservador, alocando 1% de risco em cada posição, faz que que a carteira demora mais para ficar completa e menos capital alocado na renda variável, ficando no máximo em renda fixa. Mas meu estilo é mais conservador nesse aspecto, prefiro deixar de ganhar 100% num ano bom talvez, mas num ano ruim não perder 20% por exemplo. Até hoje meu pior ano foi de -10% e isso no setup 1.0.

Minha carteira superou o IBOV esse ano. Ela teve uma rentabilidade bruta de 44,32% enquanto o IBOV teve uma alta de 26,86%.

Em 2017 fiz alguns testes novos no meu setup para ver se achava algum ponto de melhoria mas nenhum mostrou resultado melhor. Um dos testes que fiz foi usar o FR baseado em períodos diferentes, de 1, 2, 3 e 4 meses. O melhor continou sendo o de 6 meses. Outro teste um pouco maior que fiz foi usando os indicadores fundamentalistas do método CANSLIM, descrito no livro “How to Make Money in Stocks” de William J. O’Neil. O livro é um best seller mundial e muito famoso inclusive no Brasil. Segundo o autor, de vários indicadores fundamentalistas, ele validou centenas deles durante os últimos 100 anos em todas as ações americanas durante períodos que tiveram uma forte explosão nos preços e chegou a conclusão de quais poucos indicadores realmente são importantes e “precedem” a alta. Eu fiz os testes somente avaliando os indicadores numéricos e não os subjetivos como nome do CEO, lançamentos de novos produtos, etc, e o resultado foi que nenhum dos fatores precedem as altas aqui no mercado brasileiro.

Conclusão: o setup 2.0 está aprovado no seu primeiro ano de operação. Continuarei operando dessa forma no próximo ano.

Segue a tabela de rentabilidade da minha carteira desde o início, juntamente com o IBOV no mesmo período:

Ano Minha Carteira Acumulado IBOV Acumulado
2008 0% 0% -41,22% -41,22%
2009 71,86% 71,86% 82,62% 7,34%
2010 121,56% 280,77% 1,05% 8,47%
2011 -10,47% 240,91% -18,13% -11,19%
2012 7,02% 264,84% 7,38% -4,64%
2013 -1,50% 259,37% -15,49% -19,41%
2014 6,16% 281,53% -3,02% -21,85%
2015 5,29% 301,68% -13,30% -32,24%
2016 -1,33% 296,34% 40,49% -4,80%
2017 44,32% 472,01% 26,86% 20,76%

Um excelente ano de 2018 de ótimos trades e com muita saúde, felicidade, paz e harmonia para todos nós!

Abraços,

Rodrigo

Categorias:Carteira, Resultados

Resultado 2016

31 de dezembro de 2016 22 comentários

Mais um ano de investimentos de encerra e é hora da revisão geral. E o resultado do setup de Position Trade versão 1.0 infelizmente foi negativo mesmo com o IBOV tendo um ano bem positivo. Isso com certeza é para parar e refletir.

Na verdade essa revisão eu já acabei fazendo alguns meses atrás ao notar que a estratégia não estava performando bem há anos, sendo muito dependente de um mercado fortemente altista, que sinceramente eu achava que ocorreria com mais frequência na Bovespa, baseado nos gráficos históricos. Houveram no passado anos de quedas fortes semelhantes a de 2008, porém com forte recuperação depois e anos de fartura. O que nunca aconteceu na nossa história recente de bolsa de valores é um mercado praticamente lateral há mais de 5 anos, e isso eu não contava que iria acontecer.

Por isso em 30/11 eu publiquei a alteração da minha estratégia para o setup versão 2.0, buscando entrar mais no início das tendências, não esperando tendências mais fortes.

Outra reflexão é que o IBOVESPA teve uma boa alta esse ano porém minha carteira de ações não. Além no motivo do setup em si que fiz uma revisão e alteração, outro motivo que acabei notando também foi a escolha das ações. Até essa revisão eu estava focando mais em ações mid cap e small cap, pois são empresas com menos valor de mercado e tem maior capacidade de crescimento. O problema é que em anos como o de 2016, as blue chips que dominaram em performance, talvez pela incerteza do país na parte econômica e política. Por serem mais estáveis do que as small cap, acabaram performando melhor. Por isso depois da revisão da estratégia eu tirei o “preconceito” de operar blue chips e deixei o próprio mercado definir em que operar, sem filtros por tamanho/valor de mercado. Nas minhas operações do início de dezembro para cá já podem ver que começaram entrar mais blue chips que as outras na lista de entrada.

Em 2016 foquei bastante em operações de day trade em índice e dólar atráves de robôs (operações automatizadas), operando vários vezes em conta real porém é um campo muito difícil, muito mais de position e swing. É fácil desenvolver diversos setups e fazer backtests com períodos de anos e ter lucros relativamente consistentes, com a curva de capital ascendente sempre. Porém a realidade na hora de colocar o setup para funcionar de verdade a performance muda totalmente e a curva de resultado não segue o padrão do passado, gerando prejuizo na maior parte dos meses.

Enfim, o day trade no momento estou dando uma pausa e estou lendo alguns livros bem especializados no assunto de desenvolvimento de estratégias que funcionem no presente e futuro. Enquanto isso, seguindo a mesma linha do objetivo do day trade no fim do ano passado, que era rentabilizar a carteira enquando não houvesse um mercado forte de alta e o capital não ficasse todo alocado em ações de longo prazo, nesse mês de dezembro comecei a fazer operações de swing trade com uma metodologia totalmente objetiva, sem nenhuma regra subjetiva, e toda testada em 10 anos de histórico de todas as ações. Espero com isso ajudar a rentabilizar a carteira durante épocas como a dos últimos 6 anos de bolsa, que é difícil encher uma carteira fazendo gerenciamento de risco/posição correta. Não colocarei no blog essas operações primeiramente porque estou começando agora a validar na prática e segundo porque são possíveis operações diárias com muitas ações no radar e pode complicar a divulgação em tempo. Sendo assim no futuro eu penso a melhor forma.

Obs: na tabela abaixo não está contabilizado o lucro/prejuizo obtido no day trade, somente na estratégia de longo prazo.

Segue a tabela de rentabilidade da minha carteira desde o início, juntamente com o IBOV no mesmo período:

Ano Minha Carteira Acumulado IBOV Acumulado
2009 71,86% 71,86% 45,01% 45,01%
2010 121,56% 280,77% 1,05% 46,53%
2011 -10,47% 240,91% -18,13% 19,97%
2012 7,02% 264,84% 7,38% 28,82%
2013 -1,50% 259,37% -15,49% 8,87%
2014 6,16% 281,53% -3,02% 5,59%
2015 5,29% 301,68% -13,30% -8,46%
2016 -1,33% 296,34% 40,49% 28,60%

Obs: o início em 2009 foi em maio.

Um excelente ano de 2017 de ótimos trades e com muita saúde, felicidade, paz e harmonia para todos nós!

Abraços,

Rodrigo

Categorias:Carteira, Resultados

Resultado 2015

31 de dezembro de 2015 4 comentários

Mais um ano fraco para a Bolsa brasileira, com poucas oportunindades de longo prazo de acordo com minha estratégia, completando 5 anos ruins.

O ano ficou levemente positivo, contrário do IBOV que teve mais um ano de queda razoável, completando o terceiro ano de queda consecutivo.

Que 2016 seja melhor pra bolsa, o que não está aparecendo que irá ser, porém se houver pelo menos algumas empresas com forte crescimento, já é suficiente.

Como estamos passando por vários anos ruins na bolsa no quesito investimento, estou dando um foco especial na operação em day trade no mercado futuro (índice Bovespa e dólar) através de robôs pelo software Meta Trader 5, disponível gratuitamente em algumas corretoras no Brasil já. Apesar de no longo prazo não haver boas tendências, no período intradiário sempre há volatilidade suficiente para pegar movimentos e obter lucros. Então pode ser uma boa área de rentabilidade em paralelo. Obs: na tabela abaixo não está contabilizado o lucro/prejuizo obtido no day trade, somente na estratégia de longo prazo.

Segue a tabela de rentabilidade da minha carteira desde o início, juntamente com o IBOV no mesmo período:

Ano Minha Carteira Acumulado IBOV Acumulado
2009 71,86% 71,86% 45,01% 45,01%
2010 121,56% 280,77% 1,05% 46,53%
2011 -10,47% 240,91% -18,13% 19,97%
2012 7,02% 264,84% 7,38% 28,82%
2013 -1,50% 259,37% -15,49% 8,87%
2014 6,16% 281,53% -3,02% 5,59%
2015 5,29% 301,68% -13,30% -8,46%

Obs: o início em 2009 foi em maio.

Um excelente ano de 2016 de ótimos trades e com muita saúde, felicidade, paz e harmonia para todos nós!

Abraços,

Rodrigo

Categorias:Carteira, Resultados

Resultado 2014

Mais um ano fraco para a Bolsa brasileira, com poucas oportunindades de longo prazo de acordo com minha estratégia, completando 4 anos ruins.

Esperamos que 2015 seja o início de um novo ciclo na bolsa, apesar de que os inídicios sejam contrários.

Segue a tabela de rentabilidade da minha carteira desde o início, juntamente com o IBOV no mesmo período:

Ano Minha Carteira Acumulado IBOV Acumulado
2009 71,86% 71,86% 45,01% 45,01%
2010 121,56% 280,77% 1,05% 46,53%
2011 -10,47% 240,91% -18,13% 19,97%
2012 7,02% 264,84% 7,38% 28,82%
2013 -1,50% 259,37% -15,49% 8,87%
2014 6,16% 281,53% -3,02% 5,59%

Obs: o início em 2009 foi em maio.

Um excelente ano de 2015 de ótimos trades e com muita saúde, felicidade, paz e harmonia para todos nós!

Abraços,

Rodrigo

Categorias:Carteira, Resultados

Resultado 2013

Estou compartilhando o resultado da minha carteira de longo prazo. Por ser uma estratégia direcional seguidora de tendência (trend following) de alta, ela se beneficiará em épocas que o mercado esteja altista.

Nem sempre o IBOV é um comparativo de performance com minha carteira pois geralmente há ações que estão em boa tendência de alta mesmo que o índice Bovespa  está caindo ou lateral. Um exemplo disso foi o ano de 2010 onde o IBOV praticamente ficou no zero a zero e foi o ano que minha carteira rentabilizou melhor. Mesmo com o IBOV de lado havia ações subindo a todo vapor, como a HGTX3.

Os últimos 3 anos foram ruins para o IBOV e para a maioria das ações individuais, consequentemente minha carteira também. Mesmo assim não foi gerado muito prejuizo. Se tivermos um ano forte como 2009 e 2010, com certeza teremos uma valorização alta da carteira, o que compensará o marasmo dos últimos 3 anos e ainda colocará um bom lucro a mais.

Bolsa de valores é assim, quem investe em longo prazo não pode querer resultados imediatos em 1 ou 2 anos. Considero uma janela de 5 anos um período bom para refletir, e considero que obtive um bom rendimento, 259%, o que daria em torno de 29% anual. No mesmo período o IBOV quase ficou no zero a zero, dando somente 8% positivo. Se eu já operasse na bolsa desde 2003 e utizasse essa estratégia de longo prazo nos 5 anos subsequentes, até 2007/2008, tenho certeza que teria conseguido um excelente rendimento pois até o IBOV chegou a valorizar mais de 600% nesse período numa época onde tudo subia.

O negócio é ficar sempre atento às oportunidades no mercado. Não podemos desanimar com anos ruins pois o mercado é cíclico, possui fases de prosperidade e fases de desespero. Se desistirmos durante a fase de desespero do mercado não estaremos posicionados para a fase de prosperidade que virá. Nem eu nem ninguém pode afirmar que será 20014 o ano da prosperidade mas estou torcendo para que os próximos anos tragam lucros para mim e para todos que estão “no game”!

Segue a tabela de rentabilidade da minha carteira desde o início, juntamente com o IBOV no mesmo período:

Ano Minha Carteira Acumulado IBOV Acumulado
2009 71,86% 71,86% 45,01% 45,01%
2010 121,56% 280,77% 1,05% 46,53%
2011 -10,47% 240,91% -18,13% 19,97%
2012 7,02% 264,84% 7,38% 28,82%
2013 -1,50% 259,37% -15,49% 8,87%

Obs: o início em 2009 foi em maio.

Um excelente ano de 2014 de ótimos trades e com muita saúde, felicidade, paz e harmonia para todos nós!

Abraços,

Rodrigo

Categorias:Carteira, Resultados