Inicial > Carteira, Oportunidades > Atualização semanal – 29/02/2020

Atualização semanal – 29/02/2020

Semana mega tensa na Bovespa bem como nas bolsas mundiais. Quedas fortíssimas e vários stops atingidos.

Nenhuma compra feita essa semana.

Nenhum ajuste de stop.

Stops atingidos:

JSLG3 e JHSF3 no gain conforme posts anteriores.
HBOR3 em R$ 3,42 com resultado de -6,04%.
SQIA3 e ANIM3 no stop inicial.

Nenhuma oportunidade de entrada para essa semana.

Por enquanto nada no radar do mês, vou acompanhar os próximos dias e semanas para ver para o mercado o mercado irá, se recuperará logo ou se as quedas continuarão.

Minha carteira atual de Trend Following:

Data Entrada Ação Preço Compra Estratégia Variação Stop atual
02/01/2019 TRIS3 4,16 Rompimento Semanal 247,12% 12,91
24/06/2019 TRIS3 6,52 Rompimento Semanal 121,47% 12,91
30/09/2019 ALPA4 26,19 Rompimento Semanal 20,43% 28,70
03/12/2019 CNTO3 29,36 Rompimento Semanal 48,47% 38,01
04/02/2020 CNTO3 43,30 Rompimento Semanal 0,67% 38,21

Bons trades!

Rodrigo Sibin Lichti

Obs: As informações colocadas aqui são simplesmente meus registros pessoais, não são recomendações de investimentos para outras pessoas. Não sou profissional certificado de investimentos e não posso orientar nenhuma pessoa a comprar ou vender determinado ativo. Os comentários e respostas para os leitores são simplesmente trocas de idéias entre investidores.

Categorias:Carteira, Oportunidades
  1. Otávio
    29 de fevereiro de 2020 às 19:57

    Boa tarde, Rodrigo. Queria agradecer por compartilhar as estratégias. Estou começando a investir em ações agora e gostei bastante das suas análises, todas fizeram bastante sentido para mim. Fiquei com algumas pequenas dúvidas e queria ver se você poderia me ajudar:

    – Vi que em alguns posts você colocava o percentual do capital total alocado na carteira. Como funciona essa relação entre carteiras? Você trabalha com uma carteira paralela com liquidez para fazer novas entradas? Estando 100% posicionado na carteira de Trend Following, faz aportes para novas entradas? É necessário ter 2 carteiras para gestão de risco dessa estratégia?

    – Não entendi a coluna “risco” nas planilhas de atualização. Li a parte do gerenciamento de risco e do máximo de 1% por operação e 6% no total da carteira. Mas na atualização do dia 27/01/2020, por exemplo, você aponta um risco de -11,43% em uma opção de entrada. Como você calcula este risco e que influência ele tem na estratégia?

    – Estou utilizando a planilha de controle de IR que você disponibilizou (muito obrigado por isso). Você indica alguma mais gerencial, para controle da performance da carteira?

    – Para quem está entrando no mercado agora, a indicação é seguir o setup de entrada e ir alocando parcela do capital total em ações aos poucos, conforme forem surgindo situações que preencham os requisitos dos setups semanal e diário? Pergunto pois, considerando o momento, provavelmente vai demorar para as ações voltarem ao patamar anterior e ocorrer algum rompimento de resistência sem ultrapassar a correção máxima.

    – No setup diário, se eu entendi bem, os testes apontaram a possibilidade de entrada após 4 candles de correção diários. Minha dúvida é: 4 candles diários em que período? São 4 candles de correção diários entre a máxima e o rompimento da resistência, não importando quando tempo passou entre as duas?

    – A anim3 tinha FR 85% na tabela do início do mês. Qual a flexibilidade na seleção de empresas para escolher uma abaixo do FR 90%?

    – Para definir o stop loss inicial, utilizo o suporte da mínima do candle de correção anterior e coloca alguns centavos abaixo, é isso? Se houve outras correções recentes, com mínimas menores, ainda assim eu considero a mínima da última correção? Utilizo os candles diários para definir isso?

    Muito obrigado pelo trabalho, está ajudando muito a mim e certamente muitos outros! Parabéns por tudo!

    • 1 de março de 2020 às 11:30

      Fala Otávio!

      Seja muito bem vindo e que bom que as informações estão úteis para você.

      Minha carteira é única. Deixa todo meu dinheiro disponível para investir em ações na corretora. Enquanto esse dinheiro não está todo alocado em ações, eu aplico em algum fundo DI que tenha resgate em D+0 para o dinheiro não ficar parado. A medida que as oportunidades de compras de ações vão aparecendo eu vou tirando esse dinheiro do fundo e deixando na conta da corretora. Quando meu dinheiro está 100% alocado, ou eu não compro mais nada, ou se surge alguma oportunidade bem interessante eu posso decidir trocar por alguma ação da minha carteira que esteja meio devagar. A questão dos aportes regulares é importante independente se a carteira está cheia ou não, veja o post que fiz a respeito: https://traderrodrigo.com.br/2019/11/16/a-importancia-dos-aportes-regulares-na-construcao-de-riqueza/ . Os aportes regulares são importantes, mas não necessariamente será utilizado assim que depositado na corretora, eu sempre espero a oportunidade de entrada exata aparecer, enquanto isso o dinheiro fica na conta mesmo, ou aplico em algum fundo DI.

      Há 2 tipos de riscos diferentes. O risco referente ao capital total, que eu limito a 1% por operação, e a 6% no total das operações em aberto. Então para um capital total de R$50 mil, o risco por operação seria de R$500 e o risco máximo seria de 6 operações em aberto, que seria R$3 mil. O outro risco é o risco relativo ao preço de entrada e o preço de stop da ação em cada operação. Esse risco fica na média de 10%, sendo as vezes maior e as vezes menor. Significa que se comprar uma ação a R$20 e colocar o stop em R$18, o stop é de 10%. Mas eu não perderei 10% do meu capital inteiro, porque não usarei todo o dinheiro para comprar uma ação só. Para isso tem o position sizing para determinar quantas ações eu comprarei de modo a arriscar somente 1% do capital. Eu mostro essa conta e conceito nessa página da estratégia: https://traderrodrigo.com.br/estrategias/estrategias-controle-de-risco/

      Eu criei a minha própria planilha e fui aumentando com o tempo, criando macros diversas para fazer coisas que queria, bem como tratar cenários de IR mais complexos, pois o IR é simples mas não tão simples quanto parece, há vários detalhes que fojem dos meros 15% que é interessante estudar com o tempo para não. Vou ver se faço um post sobre isso. Com relação a uma planilha mais requintada que tenha mais controles e informações, ou você vai criando uma sua da forma que você quer com os dados que você quer, ou procura algumas na Internet. A minha realmente não dá pra passar pra ninguém.

      Para quem está entrando no mercado agora, está num momento bem conturbado, mercado extremamente agitado. Eu esperaria algumas semanas para ver o desenrolar das situações e a resposta do mercado. Nessas semanas eu já vendi uma boa parte das minhas ações e por enquanto não vou entrar em mais nada. Mas QUANDO for entrar, eu recomendo sim uma entrada gradativa, dividindo o capital adequadamente com o position sizing para cada operação, de modo a não perder muito caso bata o stop inicial. E é importante você usar uma estratégia que faça sentido para você.

      No setup diário, as melhores condições ocorreram em correções a partir de 4 candles. Em 3 também é aceitável mas as chances de erro aumentam um pouco. A periodicidade gráfica é diária, onde cada candle é 1 dia, então correção de pelo menos 4 dias entre o topo recente e o suposto rompimento dele. Se passar de 10 dias continua válido, mas aí é mais fácil olhar no gráfico semanal pois terá feito correção lá também. Não importa o tempo que demore para romper, porém se ficar muito tempo em lateralização, o FR pode perder muita força e a ação não ficar mais interessante.

      Eu tenho feito uma experiência de às vezes dar uma acompanhada na planilha dinâmica do FR que está no Google Drive (menu Ferramentas). Então apesar da ANIM3 estar com FR 85 no início do mês, ela ganhou força nas próximas semanas e atingiu FR 94 acho, que eu acabei esquecendo de colocar a informação no site quando comprei. Esse foi o motivo. Eu eventualmente compro ações com FR entre 85 e 90 quando o mercado está muito fraco e com poucas oportunidades, o que não é o caso do mercado que tínhamos até mês passado.

      Sobre o stop inicial, sim, alguns centavos abaixo do menor preço feito na correção, ou seja, da mínima do candle mais baixo. Sempre vejo a correção formada depois do topo mais recente, que é a base para minha entrada por rompimento. As correções antes desse topo eu não utilizo para stop inicial pois normalmente ficam mais longes. Você pode olhar o gráfico semanal e diário para ver essa correção. O preço será o mesmo, mas é legal olhar os 2 gráficos para ver o movimento do preço por 2 perspectiva diferentes.

      Abraços e bons estudos!

      Rodrigo

  2. Otávio
    2 de março de 2020 às 17:03

    Obrigado pelas respostas. Todo conteúdo está sendo extremamente útil nos meus estudos. Abraço!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: