Inicial > Carteira, Resultados > Resultado 2020

Resultado 2020

2020 encerrando e nem preciso falar nada a respeito né? Um dos piores anos das últimas décadas.

E no mercado essa crise devido a pandemia refletiu na bolsa de valores com quedas absurdas em fevereiro e março, IBOV caindo 48% em pouco tempo e todos apavorados com o incerto. A volatilidade aumentou absurdo como raramente visto antes.

E de repente, ainda com futuro bem incerto e situação ainda agravando no mundo inteiro, as bolsas de valores mundiais, e a brasileira inclusa, resolvem que essa pandemia não é tão grave assim e tudo vai melhorar logo, então elas começam a subir desde então e vão embora sem olhar pra trás. IBOV fechou o ano praticamente no mesmo topo histórico anterior da janeiro desse ano, a 119.017 pontos.

Meu rendimento no ano foi de 7,48%. Um rendimento relativamente bom se for pensar em um ano de caos, mas ao mesmo tempo baixo perante ao que poderia ser devido a forte retomada da crise.

O IBOV teve uma variação de 2,91% no ano, portanto minha rentabilidade foi 4,57% maior.

A SELIC está em 2% a.a., portanto meu rendimento foi 3,74 vezes maior que a renda fixa.

Esse ano eu já comecei oficialmente usar o setup 3.0, que inclui as operações pelo gráfico diário para otimizar entradas em alguns casos.

Reflexões sobre o ano, os trades e o resultado:

  • Os stops funcionaram muito bem no início da crise, me tirando da situação de forte stress em uma queda fortíssima do mercado, praticamente todas as ações da bolsa. A maioria voltou meses depois mas proteção e segurança sempre em primeiro lugar, nunca com achismos e com torcida para esperar voltar. Quem quer torcer vai assistir futebol!
  • A volatilidade aumentou absurdamente entre os meses de fevereiro e maio. Teve semanas do IBOV com incríveis variações de 30%. Isso fez com que o modelo de entrada com stop técnico abaixo do fundo anterior deixasse muitas operações inviáveis nesse momento devido ao altíssimo risco.
  • Essa crise no mercado foi muito atípica de todas as anteriores historicamente. Normalmente a queda das crises duram vários meses ou anos, e as retomadas também. Às vezes estas sendo mais rápidas que o período de queda, às vezes mais lentas. Nessa crise de 2020 a queda durou apenas 2 meses e após 4 meses já estava mais de 80% recuperada, analisando pelo gráfico do IBOV. Isso mostra a alta volatilidade tanto na queda quanto na retomada de alta e esse tipo de padrão gráfico dificulta muito para vários modelos de trading systems de position trade, incluindo o meu.
  • Voltei a fazer entradas em maio usando 0,5% de risco por operação devido às incertezas da crise. Somado a um stop muito maior que o normal pela alta volatilidade, essas posições foram com capital bem menor que o normal. Por um lado elas me limitaram alguns ganhos, mas por outro diminuíram muito minhas perdas nos primeiros 3 meses de trades dentro da crise. Então eu vejo que não foi ruim ter começado com 0,5% de risco nesse momento.
  • Nos primeiros 3 meses de trade começando em maio, 70% das operações foram loss. O mercado ainda estava muito volátil e o cenário incerto para várias empresas, então muitas tendências reverteram, algumas temporariamente e outras não. Portanto esse início com várias perdas colaborou para a baixa rentabilidade do ano.
  • A crise começou logo após um pico de rentabilidade do ano de 2019. Esse ano tinha finalizado com preços das minhas ações em forte alta, bem como várias operações de termo que eu tinha montado (alavancagem). E isso contabilizou no rendimento de 2019. Logo no início de 2020 os preços todos começaram a cair e em breve todos stops foram acionados na mesma época. Então todos stops das operações de 2019 foram contabilizados em 2020. É como se 2019 tivesse ficado com a parte “nobre” dos trades abertos e 2020 ficou com a parte ruim. Não tem nada de errado nisso, afinal a separação de resultados por ano é só um método de contabilizar resultados em determinado período, e nesse caso colaborou para o baixo rendimento de 2020.
  • As melhores empresas no início da retomada da crise foram as de e-commerce: MGLU3, BTOW3 e VVAR3. Por serem blue chips e não fazerem parte das minhas seleções de ações eu acabei deixando de fora das minhas entradas. Provavelmente após crises, eu deva abrir uma exceção à regra normal da estratégia e pensar em comprar empresas grandes caso elas estejam com FR alto, pois é normal que as empresas maiores e mais sólidas gerem mais confiança ao mercado em épocas de incertezas.
  • Possivelmente em futuros cenários semelhantes a esse no mercado eu possa pensar em fazer entradas mais agressivas no gráfico diário como se fosse um swing trade e posteriormente transformá-las em position trade caso evoluam favoravelmente. É uma forma de não esperar a volatilidade geral diminuir muito e tentar começar aproveitar as oportunidades mais próximo do início da tendência de alta. Várias empresas já fizeram pivot de alta no gráfico diário em abril ou até mesmo fim de março, então se eu estivesse propenso a arriscar mais poderia ser dessa forma. Mas lembrando que quanto mais cedo tenta-se comprar numa crise, maior change de errar devido a esta não ter finalizado ainda.

Conclusão: O setup 3.0 mostrou-se estável num ano de extrema volatilidade e incertezas. Não se mostrou muito lucrativo nesse ano bem atípico de crise, porém trazendo um resultado satisfatório comparado ao IBOV. Não existe um sistema ou estratégia perfeito, e nem é isso que eu busco pois com certeza seria utópico, mas sempre estamos aprendendo e evoluindo em cada novo ano de trading. Os estudos e análises do que fizemos e deixamos de fazer fazem parte do trabalho do trader. Isso é algo que sempre teremos que fazer de tempos em tempos, anualmente, semestralmente, ou qualquer outro prazo. Para isso é de extrema importância que o trader mantenha seu registro de todas as operações feitas.

Segue a tabela de rentabilidade da minha carteira desde o início (maio/2009), juntamente com o IBOV no mesmo período:

Ano Estratégia Minha Carteira Acumulado IBOV Acumulado
2009 v1 71,86% 71,86% 45,01% 45,01%
2010 v1 121,56% 280,77% 1,05% 46,53%
2011 v1 -10,47% 240,91% -18,13% 19,97%
2012 v1 7,02% 264,84% 7,38% 28,82%
2013 v1 -1,50% 259,37% -15,49% 8,87%
2014 v1 6,16% 281,50% -3,02% 5,58%
2015 v1 5,29% 301,68% -13,30% -8,46%
2016 v1 -1,33% 296,34% 40,49% 28,60%
2017 v2 44,32% 472,01% 26,86% 63,14%
2018 v2 71,59% 881,50% 15,03% 87,66%
2019 v2 120,22% 2.061,44% 31,58% 146,93%
2020 v3 7,48% 2.223,12% 2,91% 154,11%

O histórico completo das minhas operações realizadas pode ser acessado através deste post.

Um excelente ano de 2021 de ótimos trades e com muita saúde, felicidade, paz e harmonia para todos nós!

Abraços,

Rodrigo Sibin Lichti

Categorias:Carteira, Resultados
  1. NobreJP
    1 de janeiro de 2021 às 18:39

    Parabéns. Foi um ano difícil para todos e você conseguiu bater o mercado.

    • 1 de janeiro de 2021 às 20:27

      Valeu Nobre! Pois é, o ano foi difícil, vamos prosseguindo que tem anos bons e outros não tanto. Abraços e segue o jogo!!

  2. Marcelo Silva
    2 de janeiro de 2021 às 11:03

    Fala, Rodrigão!

    Realmente foi um ano bem complicado, em meados de janeiro já acumulávamos perto de 15% ou 20% de retorno, depois devolvemos tudo em fevereiro e março. Durante todo o ano de 2020 fiquei com retornos oscilando muito entre -10% e 20%, mas no final acabei com 30,08%.

    Fui às compras um pouco antes de você, comecei logo no primeiro pregão de abril, isso fez uma diferença danada nos retornos, mas como você mesmo mencionou, corri muito risco por ter entrado de maneira prematura, embora tenha se mostrado positivo, poderia ter perdido muito com aquelas apostas.

    Sim, meu retorno poderia ter sido bem maior também, em junho já estava com medo de devolver o ganho obtido nessas compras, então zerei tudo com 20% de retorno ao ano naquele momento, só voltei a comprar novamente em agosto, assim perdi algumas boas oportunidades de compras, como por exemplo a LWSA3 que só fui entrar depois dela ter subido bastante.

    Agora já voltei a fidelidade do setup de position e estou 100% seguidor do seu setup com os mesmos papéis, precisando apenas rebalancear a carteira.
    Como já havia falado em outro post, sou extremamente, e eternamente, grato por você compartilhar com todos nós, de forma tão simples, conceitos e setups que antes pareciam um verdadeiro labirinto. Não fosse o seu método (com stop’s) certamente esse 2020 seria mais um 2008 em minha vida.

    Desejo um ótimo ano de 2021, com vacina e muitas operações “centenárias”.

    Forte abraço.

    • 2 de janeiro de 2021 às 12:40

      Fala Marcelo!!

      Exatamente, janeiro largamos forte como continuação de 2019 e depois virou tudo.

      Parabéns cara, você conseguiu um excelente rendimento! Realmente nunca sabemos quando será o fundo de uma crise, mesmo após os pivots de alta, mas com certeza os traders mais agressivos que tomam risco mais cedo, quando acerto são melhores compensados. Talvez numa próxima ocasião semelhante eu seja um pouco mais agressivo, pois apesar de investir mais de 95% do meu capital em bolsa, dentro do mercado eu tento ser um tanto conservador.

      Mas é isso aí, sempre temos que ir estudando, analisando e evoluindo o repertório! Você já está fera!

      Obrigado, um excelente 2021, espero!! E de preferência com várias centenárias mesmo kkkk

      Abração!

  3. Julio
    4 de janeiro de 2021 às 19:17

    Como a queda foi recuperada rapidamente, essa crise reforçou o entendimento deletério: “se caiu compra pq está barato”, em muitos investidores. As crises financeiras, não econômicas, tem sido cada vez mais curtas dada a impressão cada vez maior de dinheiro pelos BCs. Porém, se um dia isso inverter muitos investidores poderão sair com grandes prejuízos devido aos grandes riscos assumidos. Parabéns pelo resultado!

    • 4 de janeiro de 2021 às 20:17

      Fala Julio, concordo totalmente. É exatamente isso. A premissa popular é que sempre recupera, então obviamente a consequência disso é que se caiu está mais barato e é hora de comprar. Até que um dia não volte mais. O mercado provavelmente volta (índice), mas ações específicas pode ser que não, como a história confirma. Mas enfim, cada um investe da forma que acha melhor para si próprio. Eu me sinto muito seguro usando as regras de controle de risco e evitar stress desnecessário colocando a esperança nos investimentos. Tem ano que posso ter performance pior que outros métodos de investir, mas no geral com certeza passarei menos aperto e também correrei extremamente menos risco de quebrar, eu diria que é praticamente impossível. Então estou feliz assim e segue o jogo! Abraços e obrigado!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: